O NXT fez uma seleção das melhores promessas no universo dos videojogos, depois de ter estado presente na maior feira europeia de videojogos, a Gamescom, em Colónia (Alemanha). 

Alguns destes exemplos destinam-se a todas as plataformas, outros são exclusivos. Uma coisa é certa: esta é uma época de ouro na área dos videojogos.

Fique agora a conhecer as apostas da PlayStation.

«The Tomorrow Children»
PS4

O trailer foi dos mais intrigantes que se viu na Gamescom, mas ainda não tem data para sair.
 
O jogo acontece num futuro alternativo, onde é preciso reconstruir a civilização. Seguindo de perto a estética e os valores do marxismo russo dos anos 60, os jogadores começam por ser proletários. Ao jeito de «Minecraft» podem exlorar e encontrar materiais que lhes permitem construir coisas e defenderem-se dos monstros. O objetivo? Não há um objetivo concreto em «The Tomorrow Children». A ideia é que o universo vá sendo construído a pouco e pouco pelos próprios jogadores, que vão ter de colaborar uns com os outros.

«Hellblade»
PS4

Também não tem data de lançamento e dele ainda se sabe muito pouco. Dos mesmos criadores de «Devil May Cry» e «Heavenly Sword», do que se viu na Gamescom percebeu-se que aborda temas celtas e tem gráficos excelentes.

É suposto ter uma nova «franchise», um universo que se vai desdobrar em vários títulos, a preços «low cost» e com distribuição independente. Vai começar por ser um exclusivo PS4, mas depois ficará disponível noutras plataformas.

«Rime»
PS4

Outro exclusivo PlayStation, sem data concreta para ser lançado. As imagens são belíssimas, parecendo um filme da Disney. Aqui, h á um rapaz que tem de usar a cabeça para sobreviver a uma terrível maldição numa ilha misteriosa. 

Foi recusado pela Microsoft, que, no entanto, já demonstrou estar arrependida.

«Destiny»
PS3, PS4, Xbox 360, Xbox One

É o jogo mais caro de sempre compensou. Foi a loucura em setembro quando o jogo ficou disponível para todas consolas. 

«Destiny» vem da Bungie, que tinha criado «Halo» para a Xbox. É um shooter na primeira pessoa num mundo aberto, humanos contra extraterrestres. A primeira expansão «The Dark Below» já está marcada para o mês de dezembro.

«Middle-Earth: Shadow of Mordor»
PC, PS3, PS4, XBox 360, XBox One

«Middle-Earth: Shadow of Mordor» também já está disponível. É um regresso à Terra Média e à cosmologia de Tolkien e do Senhor dos Anéis. Um jogo de aventura e acção, algures entre a história do Hobbit e a do Senhor dos Anéis. Em «The Shadow of Mordor» vestimos a pele de Talion, um ranger ressuscitado com poderes de Espectro e decidido a vingar-se de quem lhe matou toda a família - ele incluído.

«Far Cry 4»
PC, PS3, PS4, XBox 360, XBox One

«Far Cry 4» sai em novembro. Aqui estamos nos Himalaias, há um ditador, e um exército de «maus» que é preciso combater. 

É a primeira aplicação do share play, a funcionalidade que permite aos jogadores da PS4 partilhar online um jogo com até dez amigos, mesmo que eles não tenham comprado o jogo. Só é preciso que eles também estejam ligados à Playstation Network.

«Metal Gear Solid V: The Phantom Pain»
PS3, PS4, XBox 360, XBox One

«Metal Gear Solid V: The Phantom Pain» vai ser a primeira experiência do «franchise» num mundo aberto. Ainda não há data de lançamento, mas trailer após trailer vai arrancando gargalhadas em todas as feiras de videojogos. Na Gamescom, a graça passou pelos imensos usos que um soldado pode dar a uma simples caixa de cartão e surpreender o inimigo.

«Until Dawn»
PS3, PS4

«Until Dawn» ainda não tem data para sair. Aqui estão todos os clichés do filme de terror adolescente: oito jovens numa casa perdida no meio da floresta e, claro, as coisas correm da pior maneira. 

É uma espécie de filme interactivo. No limite, temos de decidir quem morre e quem sobrevive. Há mais de mil finais possíveis para esta história que dizem que está muito bem contada. Os argumentistas de «Until Dawn» vieram de Hollywood, e alguns dos actores também, como é o caso de Hayden Panettiere.

«Alienation»
PS4

Também não tem uma data de lançamento. É dos mesmos criadores do primeiro grande e inesperado sucesso da PS4, «Resogun». É um jogo de acção de nova geração, ao estilo das antigas arcadas, com modos cooperativos, dois comandos a disparar em simultâneo.

«Driveclub»
PS4

Pelo contrário, «Drive Club» já corre por cá. É um simulador de corridas, com carros superrealistas e um «twist», que é o de estarmos organizados em equipas. 

Tudo depende dos pontos de «Fama» que vamos ganhando, individualmente e em equipa - sendo que se pode ganhar «Fama» com praticamente tudo o que se faz no jogo, de uma curva bem feita a uma ultrapassagem impossível. Há corridas, e missões a cumprir.

«Tearaway Unfolded»
PS4, PS Vita

«Tearway Unfolded» há de aparecer no ano que vem. Foi o jogo do ano na PS Vita no ano passado, e é dos mesmos criadores de «Little Big Planet». 

Poético, criativo, inesperado, delicioso, é um origami gigante, uma vez que tudo aqui é feito de papel. Na primeira versão o ecrã touch da Vita já tinha sido levado ao extremo e agora é a vez do touchpad e da barra de luz do Dual Shock 4.

«Wild»
PS4

«Wild» é mais um jogo que ainda não tem data de estreia, mas que deixou o público extasiado na Gamescom. Foi apresentado como um «online survival adventure game», uma aventura de sobrevivência para jogar online, num mundo aberto que dizem que é gigantesco, do tamanho da Europa. Mas uma Europa de há dez mil anos, com estações do ano e variações climáticas. 

O trailer só mostra humanos, mas parece que é possível pormo-nos na pele de qualquer dos animais existentes no jogo: lobos, ursos, águias, peixes. Não se sabe bem o que vai ser suposto fazermos, mas «Wild», que significa selvagem, será porventura um dos jogos mais aguardados depois desta Gamescom.