Ao fim de 14 anos, a China levantou a proibição às consolas de jogos e faz surgiu «um novo mercado» para empresas como a Sony, a Nintendo ou a Microsoft. Em 2000, as autoridades justificaram a decisão com «conteúdo violento» ou «decadência moral» dos vídeojogos, avança a CNN.

O Conselho de Estado divulgou, através de um comunicado, que vai ser permitir o fabrico de consolas na Zona de Comércio Livre de Xangai. Uma área, recentemente criada, que está a permitir ao país iniciar as suas reformas económicas.

A China é o país mais populoso do mundo e o mercado das consolas pode ganhar milhões de adeptos. Aliás, graças a esta decisão, as ações da Nintendo subiram mais de 10% em Tóquio. A Microsoft subiu 1%.

O mercado negro dos jogos conquistou destaque na última década e isso terá ajudado as autoridades a levantarem, agora, a proibição. Sem consolas, proliferaram os jogos para PC, online e, também, para telemóveis.

A exigência de que as consolas sejam fabricadas em Xangai, poderá levar algumas empresas a mudarem as suas zonas de produção para poderem vender na China.