Quatro instituições portuguesas vão receber um total de cerca de 10 milhões de euros da Comissão Europeia para potenciar a investigação científica de excelência e aumentar a capacidade destas instituições de captar verbas, foi anunciado esta segunda-feira.

O Instituto de Medicina Molecular (IMM), o InBIO - Rede de Investigação em Biodiversidade e Biologia Evolutiva, a Universidade de Coimbra e a Universidade do Minho - Grupo de Investigação 3B’s vão receber cerca dois milhões e meio de euros cada, do European Research Area - Chairs (ERA-Chairs), revelam em comunicado.

Trata-se de um financiamento da Comissão Europeia inserido no programa Horizonte 2020, ao qual foram submetidas 88 propostas das quais 13 foram aprovadas, quatro destas, portuguesas.

Estes projetos terão a duração de cinco anos e permitem atrair investigadores de topo, para que as instituições possam competir com os centros de excelência pertencentes ao Espaço Europeu de Investigação, explicam.

Os investigadores a serem adstritos a cada uma das instituições serão selecionados com base em critérios de qualidade e inovação científica, assente nos projetos que desenvolvem com as suas equipas, bem como a sua rede de colaborações internacionais.

O projeto EXCELLtoINNOV irá dotar o IMM dos meios necessários para atingir um patamar de excelência científica, através do recrutamento de um ERA Chair em investigação biomédica translacional na área de imunidade e infeção.

O objetivo será posicionar o IMM na primeira linha da investigação, desenvolvimento e inovação, de forma a poder expandir o potencial nacional além-fronteiras e atuar como interface da Europa, América e África.

Henrique Veiga-Fernandes, investigador principal e diretor de estratégia institucional refere que “o fortalecimento da área de imunologia e infeção permitirá alavancar a excelência científica em todas as áreas de investigação e desenvolvimento (I&D) do IMM”.

EnvMetaGen é o nome da proposta apresentada pelo Laboratório Associado InBIO - Rede de Investigação em Biodiversidade e Biologia Evolutiva que será também financiada.

Este projeto tem como objetivo ampliar a capacidade de investigação e inovação do InBIO através da metagenómica ambiental e pretende fortalecer o potencial de investigação, dos recursos humanos, laboratórios e equipamento de nova geração de sequenciação de genomas do InBIO.

Os resultados poderão ser aplicados na conservação da biodiversidade, controlo de espécies invasoras, avaliação de serviços dos ecossistemas e monitorização da qualidade ambiental.