O comboio de levitação magnética em fase de testes operado pela ferroviária japonesa Central Japan Railway bateu esta terça-feira o seu próprio recorde mundial de velocidade ao atingir 603 quilómetros por hora.

O título foi alcançado na linha de provas de 42 quilómetros, localizada na prefeitura de Yamanashi, a cerca de 35 quilómetros a oeste de Tóquio.

Os comboios «Maglev» funcionam através de um sistema de levitação magnética que usa motores lineares instalados pertos dos carris.

O campo magnético permite que se eleve até dez centímetros acima dos carris, eliminando o contato e deixando o ar como único elemento de atrito, favorecendo assim a velocidade.

O mesmo comboio tinha batido o recorde mundial de velocidade, na passada quinta-feira, dia 16, quando alcançou os 590 quilómetros por hora.

A Central Japan Railway espera proporcionar a primeira viagem comercial entre as cidades de Tóquio e Nagoya em 2027, um trajeto de 286 quilómetros que o novo modelo terá capacidade para completar em aproximadamente 40 minutos, em vez dos 88 que demora o serviço de alta velocidade Shinkansen (‘comboio bala’).

A distância de pouco menos de 300 quilómetros é praticamente o equivalente à linha ferroviária que liga Lisboa - Porto, o que significa que num futuro distante, a primeira linha no Japão está prevista para daqui a 12 anos, pode ser possível ligar as duas cidades em pouco mais de meia-hora. 

Espera-se que o comboio circule a uma velocidade máxima de 500 quilómetros por hora no arranque das suas operações.

A Central Japan Railway pretende depois estender o serviço de Nagoya a Osaka, no oeste do país, em 2045.