O Twitter anunciou, esta quinta-feira, que vai reativar a função de bloqueio depois de os utilizadores se terem revoltado contra a decisão da empresa.

«Decidimos reverter esta mudança depois de receber o feedback de muitos utilizadores», afirmou Michael Sippey, vice-presidente do produto, num blog.

A mudança da política de privacidade permitia que um utilizador abusivo continuasse a twittar mas ficaria «invisível» para o destinatário. Os utilizadores afirmaram que isso seria o mesmo que usar uma venda nos olhos e que não teria benefícios para as vítimas de abusos.

Apesar da alteração, a empresa vai continuar a explorar recursos para proteger os utilizadores contra o abuso e evitar a retaliação. Os utilizadores podem ainda colocar a sua conta privada, o que restringe os conteúdos apenas para os utilizadores aprovados.