No MIT, o Instituto de tecnologia de Massachessets conseguiu condensar 14 mil milhões de anos em dois minutos e meio.

O vídeo publicado pela revista «Nature» já foi descrito como «fabuloso», segundo um académico citado pela BBC.

Astrónomos e especialistas da área da informática conseguiram representar, através de um modelo de computador, a evolução do universo, ao longo de 14 mil milhões de anos. «lllustris» é uma das reproduções mais credíveis até ao momento.

De acordo com a BBC, a simulação inicia-se pouco depois do «Big Bang» e estende-se até aos dias de hoje. Com recurso aos melhores efeitos virtuais, os especialistas conseguiram alcançar um realismo nunca antes visto.

«Uma das razões pelas quais fizemos a representação é que aprendemos muito sobre a física do Universo nos últimos anos e acreditamos que compreendemos bem sua composição», explicou ao Mark ao «Space.com».

O vídeo refere ainda outras interações como o arrefecimento do gás, a evolução das estrelas, a contribuição energética das explosões de supernovas, a produção de elementos químicos, entre outros aspetos revelados.

Para a produção de «Illustris» foram necessários mais de oito mil computadores, todos eles com uma capacidade de processamento muito elevada, e três meses de trabalho.