Jogo online gratuito ensina a criar negócios bem sucedidos

Jogo criado por um consórcio liderado pelo Núcleo de Investigação em Políticas Económicas da Universidade do Minho

Por: tvi24 / CLC    |   10 de Novembro de 2012 às 17:37
Um consórcio liderado pelo Núcleo de Investigação em Políticas Económicas da Universidade do Minho (UMinho) criou um jogo online gratuito para ensinar potenciais empreendedores a criarem negócios bem sucedidos, foi hoje anunciado.

«O principal objetivo deste projeto foi criar e desenvolver um jogo online realista, direcionado para potenciais empreendedores que pretendam adquirir conhecimentos na área do empreendedorismo, construir o seu próprio plano de negócios, avaliar o seu perfil de empreendedor e simular uma ideia de negócio num ambiente virtual», explicou o consórcio, em comunicado.

O jogo, criado no âmbito do projecto europeu «ENTRExplorer», apresenta vários cenários relacionados com o percurso que vai desde ideia de negócio até à criação da empresa, pondo em prática uma abordagem inovadora na utilização de métodos de educação/formação.

Os principais impactos esperados pelo consórcio são, por um lado, a promoção da utilização de tecnologias inovadoras de «elearning» para desenvolver competências e, por outro lado, o apoio a potenciais empresários na obtenção de conhecimentos e competências básicas para executarem os seus próprios negócios, aumentando o número de novas empresas em toda a Europa.

O consórcio responsável pelo desenvolvimento do projecto é liderado pelo Núcleo de Investigação em Políticas Económicas da Universidade do Minho, em colaboração com dois parceiros portugueses e três internacionais do Reino Unido, Áustria e Bulgária.

O lançamento oficial do jogo «ENTRExplorer» terá lugar na sexta-feira, no Parque de Exposições de Braga, integrado na Start Point-Feira Internacional de Emprego e Empreendedorismo, promovida por Braga 2012-Capital Europeia da Juventude.

O jogo está disponível em www.entrexplorer.com.
PUB
EM BAIXO: Internet (foto Reuters)
Internet (foto Reuters)

COMENTÁRIOS

PUB
Cartas rogatórias motivaram audição de Sócrates

Ao que a TVI apurou, a diligência foi requerida pelo Ministério Público e foi motivada pelas respostas às cartas rogatórias enviadas pelas entidades suíças. Ex-primeiro-ministro podia ter optado pelo silêncio, mas falou com o Ministério Público. Medidas de coação de José Sócrates não foram revistas