O Centro de Memória Nelson Mandela publicou um vídeo no YouTube onde mostrar como seria a vida de Madiba nas redes sociais. O vídeo mostra o percurso do líder sul-africano desde que nasceu, passando pelos anos na prisão, até à libertação e afastamento da vida pública.

Mandela poderia ter passado pela maioria das redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram são alguns dos exemplos.

«Como o pai da nossa nação, Nelson Mandela, teria gasto seus 27 anos na prisão se ele tivesse acesso às mesmas tecnologias, redes sociais, apps de patilha e global que temos hoje?», questiona o centro de memória.

No vídeo, enquanto o Facebook seria usado para compartilhar factos da vida pessoal, o Twitter teria sido uma ferramenta usada para a luta contra o apartheid.