Um estudo realizado por investigadores da Universidade do Sul de Santa Catarina, no Brasil, revelou que usar a internet ajuda a reduzir o declínio cognitivo que surge com o envelhecimento.

Os investigadores brasileiros analisaram cerca de seis mil britânicos com mais de 50 anos, concluindo que a «literacia digital aumenta as reservas cerebrais e cognitiva ou leva ao emprego de redes cognitivas mais eficientes para atrasar o declínio cognitivo».

O estudo, citado pelo «Huffington Post», relacionou o uso da internet e do email com a perda de memória. Ao serem avaliados com um teste à memória, ao terem de repetir uma lista de dez palavras, quem demonstrou um menor declínio cognitivo usava mais a internet.

Vários estudos relacionados com a perda de memória também têm resultados semelhantes. A Universidade de San Francisco descobriu que quando os idosos adicionam atividades físicas e mentais na rotina diária, a cognição melhora significativamente.

No entanto, alguns especialistas contradizem estes resultados, alertando que o uso excessivo das tecnologias pode ter efeitos profundos na memória.