Uma hora depois da sonda indiana Mangalyaan atingir a órbita, a agência espacial recebeu a primeira fotografia do terreno do planeta vermelho, transmitida através de uma antena localizada em Canberra, Austrália.

A fotografia foi tirada de uma altura de 7300km (4.536 milhas) da superfície de Marte, mostra uma superfície laranja e buracos pretos, e foi divulgada no Twitter.

«A vista é bonita lá de cima», escreveu agência espacial indiana (ISRO), na sua conta do Twitter.

Um funcionário do ISRO disse à AFP que foram recebidas várias fotografias com sucesso, enquanto um porta-voz da agência do governo disse que a sonda estava a funcionar bem.

«As probabilidades estavam contra nós, com apenas 21 das 51 missões a Marte terem sido bem-sucedidas» disse Modi ao The Times of Índia, declarando o sucesso da missão no centro de comando da Organização Indiana de Pesquisa Espacial.

A Índia tornou-se a primeira nação asiática a chegar a Marte. A sua nave espacial não tripulada entrou na órbita do planeta, na quarta-feira passada, tornando-se assim na primeira nação do mundo a alcançar Marte com sucesso na sua primeira tentativa.

A Índia junta-se assim a um grupo de elite dos Estados Unidos, Rússia e Europa, que pode gabar-se de ter chegado a Marte, mas com um investimento muito inferior. O orçamento de 74 milhões de dólares (58 milhões de euros) implica que tenha sido gasta apenas uma fração do que foi investido na sonda MAVEN, da agência espacial norte-americana (NASA), colocada na órbita de Marte com sucesso no domingo e que custou 671 milhões de dólares (527 milhões de euros), segundo a Lusa.

A sonda indiana está equipada com sensores para medir a presença de metano na atmosfera de Marte, o que validaria a hipótese de uma forma de vida primitiva no planeta.