Os gatos foram domesticados, pela primeira vez, há 5.300 anos, na região chinesa de Shaanki, revela um estudo publicado na revista «Proceedings of the National Academy of Sciences».

«Os nossos dados indicam que os gatos se aproximaram das antigas aldeias agrícolas, atraídos por animais pequenos, como os roedores que se alimentavam de grãos cultivados e armazenados», sustenta uma das coautoras do estudo, Fiona Marshall, professora de arqueologia da Universidade Washington, em St. Louis, nos Estados Unidos, citada na segunda-feira pelas agências internacionais.

A prova mais antiga de uma relação estreita entre gatos e humanos provinha dos vestígios de um gato selvagem enterrados perto de um humano, em Chipre, há 9.500 anos.

Mas as primeiras provas da presença de gatos domesticados são as que se encontram na arte do Antigo Egito, há 4.000 anos.

O novo estudo, cujos resultados foram agora revelados, partiu da análise de oito ossos de pelo menos dois gatos.

Os resultados mostram que a aldeia de Quanhucun, na China, era fonte de alimentos para os gatos, há 5.300 anos, e que a relação entre humanos e gatos era vantajosa para estes.

Segundo a investigação, estes gatos estavam fora dos parâmetros dos gatos selvagens do Médio Oriente e eram mais pequenos, dentro dos limites de tamanho dos gatos domésticos.