Milhares de pacientes com cancro da mama poderão beneficiar de uma nova forma de radioterapia, através de uma cirurgia, em vez das sessões normais, escreve o «The Guardian».

A terapia, cuja utilização já foi aprovada em Inglaterra, promete ser eficaz no tratamento do cancro e ser mais cómoda para as doentes do que as doses tradicionais, dado que muitas mulheres têm que fazer mais de 10 sessões de radioterapia, num processo que se pode demorar semanas.

«Permite evitar a necessidade de consultas semana após semana e para muitas mulheres é exatamente o tipo de tratamento que precisam», afirmou Sally Greenbrook, da fundação inglesa «Breakthrough Breast Cancer».

Segundo o Instituto Nacional de Saúde NICE, em Inglaterra, a opção deverá ser considerada para as pessoas que estejam num estado inicial da doença.

O instituto publicou um guia de recomendações para a sua aplicação.

No entanto, e por se tratar de um processo novo, recomendam que seja utilizada de uma forma controlada e que seja feito um registo dos pacientes que beneficiem do tratamento.