Às 18:00 desta quarta-feira, em Portugal, Tim Cook, presidente executivo da Apple, vai subir ao palco, na sede da empresa, em Cupertino, na Califórnia, e anunciar as novidades da marca. Certezas não há, mas rumores não faltam. Fala-se em novos iPhone, alargando a família X, novos relógios, um novo iPad, novos MacBooks e, até, um remodelado Mac Mini. 

Apesar de ter ser sido anunciado em junho passado, o sistema operativo para os equipamentos da Apple, o iOS12 não voltou a ser notícia. É possível que, esta quarta-feira, se conheça a data de lançamento. Na altura, foi anunciada a melhoria na velocidade dos telemóveis e a possibilidade do controlo parental e, ainda, o desejo de aumentar a privacidade dos utilizadores com o fim dos “cookies”.

Mas vamos aos aparelhos.

De acordo com a Bloomberg, a Apple irá anunciar três novos iPhone. Na verdade, poderão ser versões melhoradas dos iPhone X lançado em 2017. Diz a mesma fonte que pode estar a chegar um Xs e um Xs Max. Com ecrãs de 6,1 polegadas ou de 6,5, contra as 5,8 polegadas do X.

Todavia, devido ao preço elevado destes aparelhos, não está excluída a hipótese, segundo a imprensa da especialidade, de nascer um X mais amigo da carteira dos fãs da gigante tecnológica, que se poderá chamar XC ou XR. A diferença também poderá estar no ecrã LCD, em vez do OLED dos outros modelos. Há quem fale, ainda, numa nova cor para os aparelhos: dourado.

O sucesso dos smartwatches, independentemente das marcas, também criou o rumor de poder ser apresentado, este ano, um modelo completamente novo: seja no design, nas funcionalidades, como no ecrã. Isto sem esquecer que em 2017 a Apple lançou o Apple Watch Series 3.

Já o jornal britânico The Guardian levanta a possibilidade de ser lançado um novo iPad Pro, com reconhecimento facial, tal como o iPhone X, e sem botões. 

Outros rumores que correm prendem-se com os MacBook Air e o Mac Mini. Muitos esperam que seja lançado um novo MacBook, com um preço mais acessível, e acreditam também que o Mac Mini será remodelado.

“Só mais uma coisa”. Esta era a frase que Steve Jobs usava perto do fim das apresentações da marca, guardando para o fim as maiores e melhores novidades. Tim Cook poderá fazer o mesmo. Ou não.

Recorde-se ainda que, em agosto, a Apple tornou-se a primeira empresa privada norte-americana a alcançar uma capitalização de mercado de um bilião de dólares (cerca de 856 mil milhões de euros), quando as ações do grupo tecnológico atingiram o valor de 207,05 dólares no mercado bolsista de Wall Street. Esta será a primeira apresentação da marca após uma conquista histórica.