Astrofísicos descobriram três pequenos planetas, na órbita de uma estrela, onde acreditam haver condições necessárias à existência de vida extraterrestre.

Michael Gillon, da Universidade de Liège, na Bélgica, astrofísico e principal autor de um estudo divulgado esta segunda-feira, na revista britânica Nature, afirmou que os três planetas descobertos são “potencialmente habitáveis”. A confirmar-se a teoria, esta será a primeira vez que o homem poderá analisar “vestígios químicos de vida fora do nosso sistema solar”.

O momento da descoberta foi captado pelo telescópio Trappist e divulgado online.

A descoberta é importante porque são “planetas de tamanho semelhante ao da Terra, potencialmente habitáveis e propícios a estudos atmosféricos pormenorizados com a tecnologia atual”, afirmou Gillon à AFP.

Os três planetas orbitam uma estrela a cerca de 40 anos-luz de distância e foram detetados através do telescópio Trappist, instalado no Observatório La Silla, no Chile.

Dois dos três planetas descobertos agora demoram 1,5 e 2,4 dias, respetivamente, para completarem a sua órbita, escreve a Time. Por sua vez, o mais distante dos três planetas leva 73 dias. Em qualquer um dos casos, os novos planetas já provara ser muito mais rápidos que o planeta Terra, cuja orbita demora 365 dias.

Para já os cientistas vão procurar analisar os dados recolhidos a partir da observação e não está prevista nenhuma missão com sonda para o local. Os planetas estão, para já, fora do alcance das sondas e naves espaciais utilizadas.