O site « iSleep», em português «eu durmo», foi lançado esta quinta-feira com o intuito de abordar todo o tipo de assuntos relacionados com uma das mais importantes funções vitais: o sono.
 
Complemento digital  do Centro de Electroencefalografia e Neurofisiologia Clínica da Professora Teresa Paiva, o «iSleep» conta com artigos sobre os aspetos clínicos e científicos do sono, identifica os hábitos quotidianos que afetam e desregulam o descanso e a vida de cada um, em todas as idades.
 
Em entrevista à TVI, Teresa Paiva, médica neurologista especialista em medicina do sono, considerou que o sono «é uma coisa quase sagrada», sublinhando a importância da existência de uma plataforma digital aberta à discussão e partilha sobre o tema.

A publicação reúne conselhos, curiosidades e depoimentos de pessoas, como António Mega Ferreira e o piloto Nuno Queiroz.
 
 
Mega Ferreira fala sobre o modo como viveu o sono na sua vida, assim como Nuno Queiroz que, por ser piloto, se mostra afetado pela troca de horários.

«Queiroz é uma pessoa muito especial», e assina «um depoimento muito interessante sobre a segurança em voo», afirmou a especialista recordando os «acidentes resultantes da grande fadiga dos pilotos devido a poucas horas de descanso».


A publicação tem também textos literários e obras de arte, versando desde as insónias de Proust, a quadros de Matisse relacionados com a temática.

«O sono é transversal à nossa vida, ainda ontem recebi um pedido para colaborar num projeto sobre a qualidade do ar e o sono. O sono influencia todos os aspetos da nossa vida, em termos emocionais, intelectuais...», acrescentou Teresa Paiva.

Em termos cognitivos a Professora sustentou-se num estudo para ressaltar que «dormir pouco é um fator de risco de demência», sendo que o sono é «protetor».

«As pessoas que não dormem, a primeira coisa que se queixam é falta de memória».

«Dormir pouco aumenta o risco cardiovascular, peso, as pessoas ficam mais gordas, mais feias, com mais rugas, etc», destacou a nível da saúde geral. 


A médica falou ainda sobre o impacto da falta de sono nas crianças afirmando que «têm mais acidentes em casa» e concluiu sublinhando que «as doenças do sono são doenças reais».