O físico Stephen Hawking diz que é uma “quase certeza” um “desastre global” no planeta Terra, nos próximos mil a 10 mil anos. O cientista diz que a guerra nuclear, o aquecimento global e vírus geneticamente modificados são os grandes perigos da humanidade.
 
Ainda assim, o físico mostra-se otimista na sobrevivência da raça humana. Numa palestra organizada pela BBC, Stephen Hawking diz que, “por essa altura, já nos devemos ter espalhado pelo Espaço”. “Um desastre na Terra, não significará, por isso, o fim da humanidade”, acrescentou.
 
“Contudo, não seremos capazes de criar colónias autossuficientes no Espaço, nos próximos 100 anos. Teremos de ser muito cuidadosos nesse período”, alertou.
 
No ano passado, Stephen Hawking aliou-se a um multimilionário russo para conseguir financiamento para a procura de vida extraterrestre. O cientista de 74 anos sofre de uma distrofia neuromuscular chamada de Esclerose Lateral Amiotrófica que o deixou quase totalmente paralisado. A única forma que tem de comunicar é selecionando letras e palavras num ecrã, através de contrações dos músculos da cara.