“É o nosso único material de construção naturalmente renovável. Uma ínfima quantidade de energia é necessária para produzir e é totalmente biodegradável”, afirma Harmon.





Splinter (REUTERS/Ina Fassbender)






Splinter (REUTERS/Ina Fassbender)