Batizado de Splinter, demorou cinco anos para estar finalizado e inspirou-se num avião da 2ª Guerra Mundial, que também era feito de madeira.

“É o nosso único material de construção naturalmente renovável. Uma ínfima quantidade de energia é necessária para produzir e é totalmente biodegradável”, afirma Harmon.

O carro está equipado com um motor V8 de 7.0 litros, desenvolve pelo menos 600 cavalos de potência e é acompanhado de transmissão manual de seis velocidades. Tem 4,4 metros de comprimento e assenta numa distância entre eixos de 2,66 metros.

Splinter (REUTERS/Ina Fassbender)

No entanto, o carro desportivo apresenta um senão: não tem portas, o que faz com que as pessoas tenham de entrar por uma pequena janela.

Splinter (REUTERS/Ina Fassbender)

A ideia de criar o Splinter nasceu quando Harmon estava na faculdade e pensava num projeto para mostrar novos usos para a madeira. O intuito era usar material renovável no maior número de peças possível.