No mundo onde os   smartphones e as  apps proliferam, existe um perigo à espreita. À medida que os telemóveis inteligentes e as aplicações evoluem, um inimigo do digital também se desenvolve: o cibercrime. Um vírus no telemóvel é suficiente para que ferramentas como estas, tão práticas no dia-a-dia, deixem de funcionar corretamente.

Há uma “avalanche de vírus” a chegar aos dispositivos móveis, alerta a consultora de segurança   G Data, segundo dados do   Mobile Malware Report:

- A cada 18 segundos há um novo vírus ou programa malicioso para invadir um telemóvel, ou seja, por hora são identificados cerca de 200 vírus.

- O sistema  Android é o principal alvo. Por dia são identificados 4.900 novos vírus para este sistema operativo. 

- Os dados analisados pela empresa registaram 440.267 amostras de  software malicioso no primeiro trimestre de 2015. Um aumento superior a 20% em comparação com o mesmo período do ano passado.

- 41% dos cidadãos europeus, e 50% nos EUA, usam o  smartphone ou o  tablet para efetuar transações financeiras ou consultar a conta bancária.

- Dos programas maliciosos registados pela consultora cerca de 50% têm como objetivo roubar dinheiro.

Com o mundo digital em constante mutação, proteger os telemóveis é a melhor forma de evitar futuros prejuízos.  Antes de fazer o   download  de qualquer aplicação para o seu aparelho, verifique as classificações e os comentários dos utilizadores nas lojas. Se encontrar muitas opiniões negativas, desconfie. Verifique também a lista de permissões solicitada pela aplicação. Por exemplo, uma  app que tem como função gravar áudio não deverá pedir autorização para usar a câmara do dispositivo. Instalar um antivírus é uma outra alternativa.