De acordo com o especialista em segurança de dados Jonathan Zdiarski, a Apple terá instalado, de forma intencional, dispositivos que permitem uma ampla vigilância de dados, em muitos dos 600 milhões de telemóveis da marca, avança o «Independent».

A Apple respondeu às acusações assegurando que «as funções dos telemóveis não comprometem a privacidade e a segurança dos utilizadores». Mas Zdiarski critica o facto de o acesso a estes dados ser feito sem a permissão do utilizador e o facto de não ser possível desativar estes mecanismos.

Este sistema cobre, alegadamente, uma série de ferramentas e protocolos que permitem a ligação do iPhone ou do iPad ao computador com total segurança.

Se a Apple defende que esta é a forma de garantir aos indivíduos e às empresas conectar e gerir os seus gadgets, Zdiarski salienta que o sistema permite o acesso aos logins dos utilizadores, aos contatos e ao histórico por qualquer pessoa que esteja a utilizar a mesma rede Wi-Fi.

O site «The Register» especula que estas funções existem conforme a legislação americana para as empresas de comunicações. Mas Zdiarski é da opinião de que os mecanismos usados pela Apple ultrapassam tudo o que a lei exige e cobrem um nível de informação muito mais vasto.

Estas acusações podem agravar ainda mais o clima de suspeição sobre a marca, na China. Na semana passada, o canal chinês CCTV sugeriu que a função de localização do iPhone era uma ameaça à segurança nacional.