Doze praias de Torres Vedras são as primeiras no mundo a ter um sistema de informação para banhistas daltónicos, que foi inaugurado pela secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, este sábado, no arranque da época balnear.

A câmara de Torres Vedras adotou o sistema internacional de identificação de cores, "ColorAdd", desenvolvido pelo designer Miguel Neiva, nas bandeiras e nos contentores de recolha seletiva de resíduos das praias. 

Nas praias temos as bandeiras, de várias cores, e ter uma bandeira que ajuda as pessoas daltónicas a poderem saber as condições do mar pode parecer um projeto pequeno, mas é um ato extraordinário de integração", defendeu Catarina Marcelino, à agência Lusa.

A secretária de Estado lembrou que a dificuldade de não conseguir identificar as cores "é uma perturbação muito grande no dia-a-dia de qualquer pessoa e leva à exclusão social de pessoas, ao ‘bullying’ nas escolas e ao insucesso escolar e social", sublinhando que, por isso, é "um projeto que ajuda à inclusão de pessoas e a ter uma sociedade mais igual".

Para a governante, trata-se de um projeto de inclusão social e contribuiu para ter uma sociedade "mais igual", já que se estima que 10% dos homens são daltónicos, enquanto o daltonismo afeta apenas 0,5% das mulheres em todo o mundo, sendo por isso um problema também de género.

O sistema de informação para daltónicos, que no areal das praias se torna visível com mais uma bandeira hasteada, na qual se inscreve um símbolo identificativo da respetiva cor, foi implementado nas praias Azul, Santa Cruz Centro, Física, Formosa, Mirante, Navio, Pisão, Santa Helena, Santa Rita-Norte, Santa Rita-Sul, Foz do Sizandro e Porto Novo.

Com o projeto, o município pretende que "ninguém fique de fora, se necessitar de ir ao banho", disse o presidente da câmara, Carlos Bernardes.

A ideia foi concebida pelo designer Miguel Neiva já em 2000, mas só em 2008 veio a concluir o projeto de investigação dedicado a este código de identificação de cores para daltónicos, que até agora se disseminou por 60 países.

Contudo, só hoje chegou às praias em todo o mundo, sendo as de Torres Vedras as primeiras praias inclusivas do mundo.