Um estudo norte-americano mostrou que o uso do Facebook faz com que as pessoas tenham autoestima baixa e não se sintam tão satisfeitos com a vida. O estudo mostrou ainda que, quanto mais se visita a rede social, pior é o estado em que se fica.

A pesquisa da Universidade de Michigan, que contou com voluntários durante duas semanas, revela que o Facebook tem consequências a nível psicológico negativas, refere a BBC.

«No geral, o Facebook disponibiliza uma boa quantidade de recursos para satisfazer as necessidades básicas humanas de interação social. Em vez de contribuírem para o bem-estar, estas descobertas sugerem que o Facebook pode reduzi-lo», dizem os investigadores.

Graham Jones, psicólogo que estuda fenómenos da internet, diz que o estudo confirma várias pesquisas que atestam os contras da rede social, mas também há uma vasta investigação que confirma que o Facebook tem benefícios para os utilizadores.

A equipa quis também apurar que tipo de comunicação direta, e em que quantidade, é que os participantes mantêm, quer cara a cara ou por telefone.

Resultados mostraram que, quanto maior é o uso da rede social, pior é a forma como as pessoas se sentem.

O estudo foi o primeiro a examinar os efeitos do Facebook na autoestima dos seus utilizadores, afirmam os investigadores.