A Google Cultural Institute, um arquivo online de exposições e coleções de todo o mundo, lançou esta terça-feira uma coleção de Arte Urbana que conta, em Portugal, com o apoio da Galeria de Arte Urbana de Lisboa.

Desta coleção faz parte o mural da rua das Murtas, em Lisboa, «Rostos do Muro Azul», resultado de uma parceria da Google com a Galeria de Arte Urbana, refere um comunicado hoje divulgado.

Promovido por esta galeria, em parceria com o Hospital Psiquiátrico de Lisboa, o projeto «Rostos do Muro Azul» continua a animar a rua das Murtas, em Lisboa, e estará disponível para todo o mundo através do «Street Art Project».

Considerado um ícone da arte urbana na capital portuguesa, o mural é «uma apaixonante viagem por mais de um quilómetro de pinturas que têm o azul como cor dominante».

Em novembro último, este mural acolheu a edição do «Writer`s Delight Burners» de 2013, organizado pela «Dedicated Store Lisboa», com um trabalho coletivo de intervenientes alemães e nacionais. Mais recentemente, em março passado, 29 artistas nacionais e internacionais intervencionaram 54 novas pinturas, naquela que é a sétima fase do projeto «Rostos do Muro Azul».

«Neste arquivo de arte online será possível analisar com detalhe todas as obras de arte, conhecer melhor as origens deste movimento urbano e ainda descobrir como se está a utilizar esta técnica para revitalizar as cidades, por exemplo na Polónia», refere uma nota informativa.

O «Street Art Project» possibilita também aos seus utilizadores uma visita guiada às origens do movimento graffiti em Nova Iorque nos anos 90. Para quem deseja ir até ao outro lado do oceano, é possível ainda comparar a natureza global da arte urbana produzida no México, onde existe uma grande tradição de pintura mural.

Permite igualmente conhecer os primeiros passos no contexto artístico das Filipinas, onde a arte urbana começa agora a florescer.

«Street Art Project» é uma iniciativa que congrega mais de 5.000 exemplares de obras de arte urbana de vários países e que tem o objetivo de conservar digitalmente as expressões artísticas que geralmente acabam por desaparecer nas cidades de todo o mundo.

A iniciativa reúne uma grande variedade de estilos inspirações urbanas e algumas das obras que podem ser consultadas neste arquivo online da Google Cultural Institute correspondem a «autênticas formas de expressão e ativismo político e social» em épocas turbulentas da história dos vários países que fazem parte do projeto.

Alguns exemplos são os trabalhos do português Alexandre Farto - mais conhecido por Vhils -, o surrealismo dos brasileiros Os Gémeos, ou ainda os retratos fotográficos a grande escala do francês JR.

O «Street Art Project» é a primeira iniciativa de captura digital de imagens de arte urbana e representa a união entre aquela que é considerada a plataforma online do presente, a Google, e aquela que é a expressão artística da atualidade, a arte urbana.