logotipo tvi24

Robôs para sexo chegam daqui a 30 anos

Máquinas vão ser resistentes às bactérias e imunes a doenças como a SIDA

Por: Redacção / AC    |   2012-04-24 15:02

Daqui a 30 anos, já vai ser possível pagar a robôs para ter sexo em clubes noturnos, de acordo com uma investigação concluída por dois autores e publicada no jornal científico, «Futures».

O objetivo da criação dos robôs do sexo vai ser, segundo os autores do estudo, Michelle Mars e Ian Yeoman, criar uma forma segura de ter relações sexuais sem doenças. Outro objetivo é também diminuir o tráfico de pessoas.

«É possível. A nossa sociedade já tem lida com máquinas e tem relações cada vez mais fortes e íntimas com tecnologias avançadas e sofisticadas», revelaram os autores do texto publicado no «Futures».

Como forma de sustentar a investigação, os dois autores imaginaram a cidade holandesa de Amesterdão e o turismo sexual que vai surgir até 2050. Nessa altura, Mars e Yeoman preveem que os clubes noturnos de sexo disponham de robôs que vão oferecer serviços sexuais aos clientes.

Os dois investigadores creem também que a quantidade de pessoas alvo de tráfico sexual vai aumentar tanto até 2040 que as autoridades vão ter de legalizar os clubes noturno de sexo com robôs em Amesterdão.

Num cenário completamente futurista, estes robôs do sexo vão ser feitos de materiais resistentes a bactérias e limpos após cada utilização. Não vão ser alvo de doenças sexualmente transmitidas e os clientes vão estar livres do sentimento de culpa de trair as companheiras(os).

Partilhar
Mais sobre este tema
EM BAIXO: Campeonato de robôs na Alemanha [EPA/JENS WOLF]
Campeonato de robôs na Alemanha [EPA/JENS WOLF]

Google compra fabricante de «drones» Titan Aerospace
Aquisição destina-se a ampliar os esforços da empresa para expandir o acesso à Internet
Lua vermelha: o eclipse pelo mundo
Fenómeno registou-se esta madrugada
Eclipse total vai mostrar a «Lua Vermelha»
Terra, Lua e Sol irão estar perfeitamente alinhadas
EM MANCHETE
Corte não será tão grande como a CES
Em entrevista, Passos Coelho pouco revela sobre medidas futuras, mas admite aliviar cortes em 2016. PM não promete baixar IRS e recusa ser responsável pelo aumento da pobreza
«Primeiro-ministro fugiu a dar respostas concretas»
«Se agora conseguem poupar, por que foram ao osso?»