A Amazon vai processar 1.114 pessoas por terem feito falsas recomendações no site. A ação jurídica já está em curso e a empresa afirma que têm de haver consequências, uma vez que o serviço está a perder reputação com estes comentários “falsos, enganadores e inautênticos”.

De acordo com a Amazon, estas recomendações eram compradas pelos vendedores, que pretendiam publicitar os seus produtos e atrair mais clientes.

A investigação da Amazon revelou que grande parte destas recomendações partiram do site Fiverr.com, onde muitos utilizadores se disponibilizaram a fazer comentários positivos, a troco de dinheiro. Segundo a BBC, o serviço de recomendações falsas custava apenas 4 euros por comentário ou classificação.
 

 “Apesar de representarem um número pequeno, estas reviews podem minar significativamente a confiança que os consumidores e grande parte dos vendedores depositam na Amazon”, justificou a empresa, na sexta-feira, quando a ação judicial foi formalizada.


A Amazon descobriu o sistema, fazendo-se passar por vendedor no site, pedindo classificações de cinco estrelas e comentários. Segundo a empresa, vários utilizadores usavam contas diferentes para passarem despercebidos.

Este processo vem na sequência de um outro, em abril, quando a empresa processou quatro sites que ofereciam um serviço de recomendações falsas.