O primeiro estudo epidemiológico sobre doenças reumáticas chega esta sexta-feira ao fim, tendo sido entrevistados mais de 10 mil portugueses e encaminhados para uma consulta 3.850, dos quais 80 por centro manifestou queixas reumáticas.

Este estudo é o primeiro que vai estimar a prevalência das diferentes doenças reumáticas em Portugal e foi promovido pela Sociedade Portuguesa de Reumatologia.

Ao longo de dois anos, o ReumaCensus recrutou e entrevistou 10.661 portugueses. No decorrer da iniciativa, foram à consulta com o médico reumatologista cerca de 3.850 portugueses.

ReumaCensus iniciou a primeira fase do projeto ¿ recrutamento e entrevistas ¿ no dia 19 de setembro de 2011 e a segunda fase ¿ consulta com o reumatologista ¿ no dia 30 de setembro do mesmo ano.

Esta sexta-feira, realiza-se a última das cerca de 3.850 consultas com o médico reumatologista, em Linda-a-Velha no Minho, a última região a receber o ReumaCensus, depois da Ilha da Madeira.

Segue-se agora a análise dos resultados que permitirá determinar quais são as doenças reumáticas mais prevalentes em Portugal.

«Vai ser também possível identificar os fatores socioeconómicos, sociodemográficos e clínicos associados ao diagnóstico de cada patologia, determinar o impacto das doenças reumáticas na qualidade de vida, função e capacidade laboral e ainda investigar o acesso aos cuidados de saúde destes doentes», segundo a SPR.