Investigadores da Universidade Politécnica de Valência (UPV) e do Centro Nacional de Investigação Científica de França (CNRS) desenvolveram um sistema em linha que permite, gratuitamente, uma análise rápida e detalhada de imagens de ressonância magnética do cérebro.

Este sistema, chamado volBrain, facilita a obtenção de informação cerebral chave para o avanço na investigação sobre patologias neurológicas e, em três meses de funcionamento, processou mais de 1.500 casos, segundo um comunicado da UPV, citado pela agência noticiosa espanhola Efe.

O sistema oferece informação sobre o volume dos tecidos da cavidade intracraniana, assim como de algumas áreas macroscópicas, como os hemisférios cerebrais, cerebelo e espinhal medula/tronco encefálico. Além disto, proporciona os volumes e índices de assimetria subcorticais, muito importantes na neurologia.

Para esta finalidade, noticia a Efe, foi incorporado um conjunto de ferramentas informáticas desenvolvidas pelos investigadores da UPV e do CNRS, que permitem a análise exaustiva e exata de cada caso.

O investigador do Instituto ITACA da UPV José Vicente Manjón assegurou que o volBrain pode medir estruturas importantes no desenvolvimento de doenças tipo Alzheimer, já que “oferece informação muito importante para medir atrofias cerebrais” que ajudam “no diagnóstico e seguimento de doenças neurológicas onde apareçam alterações morfológicas, como é o caso do Alzheimer”.

José Manjón destacou que com a plataforma volBrain, ao contrário de outros sistemas semelhantes, “o usuário não tem que instalar nenhum software, só tem que enviar um ficheiro comprimido através da Internet”, acrescentando que utiliza “as similaridades de padrões cerebrais para rotular e medir os volumes de cada novo caso”.

Os investigadores da UPV e do CNRS vão apresentar o volBrain na conferência internacional Human Brain Mapping, o encontro mais importante do mundo sobre neurologia, que se vai realizar no próximo mês de junho, em Honolulu, capital do Havai.