Paleontólogos anunciaram esta quinta-feira a descoberta de uma nova espécie de dinossauro com cornos, que viveu há 70 milhões de anos.

O dinossauro, com o nome científico de "Regaliceratops peterhewsi", assemelha-se, em muitos aspetos, ao Tricerátopo (um tipo de dinossauro com um corno nasal pequeno e dois outros maiores sobre os olhos).

A nova espécie, contudo, tem um corno nasal mais alto, ao passo que os cornos mais pequenos, sobre os olhos, são "quase ridiculamente pequenos", assinala o estudo, citado hoje pela revista Current Biology, acrescentando que o "Regaliceratops peterhewsi" apresenta no pescoço uma espécie de gola em forma de coroa.

O crânio do dinossauro (na foto) foi localizado há dez anos por um homem, Peter Hews, que encontrou alguns ossos que sobressaíam numa falésia perto do rio Oldman, no sudeste de Alberta, no Canadá.

                

Porém, só agora, os paleontólogos Caleb Brown e Donald Henderson, do Museu Real Tyrrell, em Alberta, divulgaram a descoberta como pertencendo a um novo dinossauro.

"O espécime vem da região geográfica de Alberta, onde já se tinham descoberto dinossauros cornudos. Por isso, sabíamos do princípio que era importante", assinalou Caleb Brown.

O novo exemplar é considerado o primeiro da convergência evolutiva entre os dinossauros com cornos, dos géneros do Chasmossauro (que tem um pequeno corno sobre a cabeça, outros maiores sobre os olhos e uma grande "coroa") e do Centrossauro (que apresenta um corno grande sobre o nariz, dois mais pequenos sobre os olhos e uma pequena "coroa").