O Facebook permite-nos aceder a notícias, contatar familiares e amigos que estejam longe, partilhar fotografias e até vídeos em direto. Mas, hoje em dia, ele possibilita-nos muito mais do que isso. Já ouvimos histórias de pais que encontram filhos e até de irmãs que se reencontram mais de 70 anos depois.

Consciente disso, Kate-Madonna Hindes, de 34 anos, resolveu utilizar o poder das redes sociais para procurar a mãe biológica.

Na verdade, Kate já o tinha começado a fazer três anos antes, através de uma instituição, mas percebeu que precisava de fazer mais quando descobriu que provavelmente teria o raro gene BRCA-2, que eleva o risco de cancro da mama e dos ovários. 

Kate-Madonna, mãe de duas crianças, já tinha tido cancro cervical mais do que uma vez.

Só há seis meses atrás – três anos depois do primeiro pedido – a instituição Children's Home + Aid contactou-a para dizer que tinha encontrado o processo e que, além da fotografia da mãe biológica, havia ainda uma carta escrita em 1981.

Foi essa mesma carta, na qual a progenitora explicava as razões de a ter dado para a adoção, que Kate partilhou no grupo de sobreviventes de cancro que tinha no Facebook.

Em menos de duas horas, alguém contatou a verdadeira mãe de Kate e, em menos de um dia, as duas já estavam a falar através da Internet. Kate-Maddona descobriu que a própria mãe também já tinha sobrevivido a um cancro.

O encontro aconteceu em Saint Paul, no estado norte-americano do Minnesota, na semana passada. E foi assim: