O Facebook prepara-se para alterar novamente o algoritmo que determina quais são as publicações mais relevantes para o utilizador. A rede social divulgou, em comunicado esta segunda-feira, que esteve a trabalhar de perto com os milhares de utilizadores em todo o mundo para introduzir esta nova alteração. A ideia é que no topo do feed estejam não só as publicações de que vai "gostar", "comentar" e "partilhar", mas também aquelas que quer ver, mesmo que não tenha qualquer tipo de interação com as mesmas.

Ao longo dos anos, a equipa de Mark Zuckerberg tem vindo a implementar várias mudanças no algoritmo que determina a ordem do feed. O objetivo é dar ao utilizador aquilo que este mais quer ver. Só que acertar na fórmula mágica não parece ser tarefa fácil e quem recorre diariamente ao Facebook sabe-o bem: muitas vezes estão no topo do feed mensagens que o utilizador não quer ver e publicações de amigos próximos ou de páginas que nos interessam ficam esquecidas. Em breve, o novo algoritmo promete melhorar esta experiência e torná-la mais próxima do utilizador.

A empresa tecnológica quer que no topo do feed de notícias apareçam não só as publicações em que é mais provável o utilizador fazer gosto, deixar um comentário ou fazer uma partilha, mas também todas as outras que quer ver, mesmo que não queira ativar nenhuma destas ferramentas.

Para isso, o Facebook contou com a preciosa ajuda de milhares de utilizadores em todo o mundo, uma amostra da comunidade que foi sujeita a muitos questionários e vários testes. 

No mesmo comunicado, a rede social explica que, tal como agora, o utilizador poderá sempre assegurar que segue de perto a atividade de determinados amigos, ativando essa função de forma manual.

A mudança até pode parecer pequena para o utilizador comum, mas no caso das empresas que têm páginas nesta rede social o novo algoritmo poderá ter consequências importantes. É que esta alteração poderá afetar o alcance das publicações e, consequentemente, as visualizações da mesma e as potenciais interações.