A cadeia de lojas britânica John Lewis já lançou o sempre muito aguardado anúncio televisivo de Natal. O filme, criado pela agência Adam&Eve/DDB, retrata uma história de amizade entre um pinguim chamado Monty e um menino. A surpresa escondida no fim do anúncio está a emocionar internautas de todo o mundo.

Ao som de uma versão melancólica de «Real Love» de John Lennon, cantada por Tom Odell, o anúncio mantém características marcantes das últimas campanhas de Natal da marca.

Um cínico inveterado diria que este é o tipo de manipulação assustadoramente ternurenta que acontece quando as empresas percebem que os seres humanos têm sentimentos e, de seguida, contratam alguém para descobrir de onde eles vêm. E a estratégia está a resultar: os internautas estão a chorar de emoção.

Mas porque é que tantos aguardam todos os anos pela história que a John Lewis tem para contar? A resposta do sucesso da loja envolve continuidade e « storytelling». Continuidade porque a marca aposta nesse formato há quatro anos. Desde 2011, quando lançou «For gifts you can't wait to give», a empresa tem apostado em contar pequenas histórias nos filmes natalícios.

«A narrativa forte gera sentimentos intensos de cordialidade e de felicidade num momento em que as pessoas estão a começar a pensar nas festividades. Claro, que nem toda a gente é fã. Alguns acham que o conteúdo é muito piegas e sentimental», disse ao site City A.M, Sarah Wood, cofundadora da Unruly, uma empresa de consultoria que mede o sucesso de vídeos de marcas no YouTube.

«Esse poder emocional das campanhas leva a muita discussão e comentários online, o que por sua vez leva a uma maior consciência de marca e intenção de compra num momento crucial», explicou Sarah Wood.


Veja aqui os anúncios anteriores:

2013




2012




2011