O projeto Floral Hotel, criado pela equipa de arquitetos portugueses Joana Moreira, Rui Jurze, Diogo Jurze e Jorge Francisco, do Hamares – Arquitectura Lusitana, foi distinguido com um prémio da União Internacional dos Arquitetos (UIA), na China.

De acordo com a equipa, com sede em Lisboa, o projeto foi apresentado no âmbito do concurso internacional de arquitetura Molewa, em Ruichang, na China, no Estado de Mont Lu, ao qual se candidataram mais de um milhar de arquitetos de 40 países.

Segundo indica o sítio online da UIA sobre o concurso, os prémios são distribuídos nas áreas comercial/cultural e residencial, tendo a equipa de portugueses sido premiada na categoria comercial/cultural, enquanto o arquiteto português José Manuel Duarte Soalheiro tinha apresentado um projeto na área residencial que obteve uma menção honrosa.

O concurso é promovido pela UIA e pela UNESCO e a Creativersal, entidade mandatária do Hua Yan Group, promotor do projeto e do concurso.

O ateliê Hamares – Arquitetura Lusitana é composto por uma equipa multigeracional e tem como filosofia de projetos "seguir o legado deixado pelos grandes mestres da arquitetura mundial, desde o Renascimento" e alguns dos seus membros já criaram projetos para o Brasil, Espanha, Colômbia e São Tomé e Príncipe.

A cerimónia da entrega está prevista para o dia 22 de julho, no Palácio do Povo e Conferências Políticas de Pequim, na Praça Tiananmen, junto à Cidade Proibida, onde serão entregues os prémios, e será lançado um livro com os trabalhos dos distinguidos, apurou a Lusa.