O FBI prendeu «o homem mais odiado da Internet». A notícia foi avançada em primeira mão pela «Time» que revelou que Hunter Moore foi detido pelo FBI, a polícia de elite norte-americana, na quinta-feira, e será presente a um juiz de Sacramento, nos Estados Unidos.

Hunter Moore e o sócio estão acusados de vários crimes de «conspiração e acesso ilícito a computadores».

A alcunha de «homem mais odiado da Internet» surge com o seu negócio. Hunter Moore ficou rico ao criar um site, isanyoneup.com, que instigava as pessoas a enviarem fotos de ex-namorados e ex-namoradas nus.

A «porno-vingança» como também foi apelidada e que era alimentada pelo caráter controverso do autor do site na Internet, cujos comportamentos e frases desejavam «chocar» a comunidade internauta, como explica a BBC.

Hunter fazia negócio promovendo clubes noturnos, ao mesmo tempo que recebia ameaças, mas ele argumentava que não conhecia as pessoas, só postava as fotos.

A página foi fechada em 2012. Abriu, a seguir, a HunterMoore.tv que promove as suas presenças em festas, mas que anunciou ¿ e desmentiu também ¿ que ia revelar as fotos da «porno-vingança» e a sua localização.

Ao longo dos tempos e num assunto que extravasou as fronteiras dos Estados Unidos, Hunter e os seus «fornecedores» das vinganças foram sendo alvo de críticas públicas e processos em tribunal.

Alguns Estados americanos criaram mesmo leis a proibir este tipo de vingança, classificando de contraordenação a partilha de fotos íntimas sem consentimento. Foi o caso da Califórnia, mas os «ex» sentiram que não os protegia suficientemente.

Agora, o FBI afirmou-se sobre o caso.