Um pequeno dispositivo vai passar a ser o suficiente para descobrir se a sua bebida tem droga. O Pd.id, ou Personal Drink ID, é um pequeno aparelho portátil, barato e reutilizável que vai ajudar o utilizador a detetar a existência de drogas nas bebidas, designadamente das drogas incapacitantes que facilitam o abuso sexual.

O dispositivo, que ainda não é comercializado, recolhe uma pequena amostra da bebida e faz três testes distintos para analisar se a bebida foi ou não alterada. Caso a bebida tenha droga, o consumidor será alertado por uma luz LED incorporada no dispositivo.

O aparelho pode ser conectado a um smartphone, para o qual será enviado um alerta que esclarecerá quais são as drogas que contaminam a bebida, e permite o acesso a uma base de dados atualizada sobre os tipos de drogas usadas.

A equipa que desenhou este aparelho lançou uma campanha de crowdfunding para tentarem angariar 100 mil dólares, de modo a possibilitar a venda do Pd.id no mercado - estimada para abril de 2015 - com um custo reduzido de cerca de 56 euros. Os responsáveis têm outras metas para o projeto, entre as quais, angariar 500 mil dólares para criar uma base de dados que fornecerá o conteúdo nutricional e calórico da bebida, e aos 750 mil dólares pretendem criar um mapa que destaca quais os estabelecimentos mais seguros para o consumo de bebidas.

«O nosso grande objetivo é capacitar as nossas filhas, filhos, irmãs, irmãos, parceiros, amigos, colegas de trabalho e nós mesmos num mundo que é muitas vezes inseguro», escreve David Wilson, responsável pelo Pd.id.