Há dois anos uma vaca voadora pretendia provar que não há impossíveis para o primeiro-ministro, António Costa.

Este ano, apesar de não entrar em palco, na apresentação desta quarta-feira do Simplex+ 2018, Lola, a robô, vai roubar as atenções ao Simplex na sua versão atualizada.

Imbuído do espírito da magia de Luís de Matos, que faz parte da campanha de divulgação das novidades do Simplex, o Governo quer mostrar novos truques comunicacionais.

“Não é magia. É Simplex”, será o mote. Vai falar-se da Lola, a primeira robô funcionária pública, assistente pessoal dos utentes das lojas do cidadão.

A começar na cidade do Porto, na Loja do Cidadão, a Lola vai interagir com os cidadãos para os reencaminhar para o serviço que pretendam, sem a intervenção de um funcionário.

Mas os “coelhos na cartola” do Executivo não ficam por aqui.

Há mais novidades, com destaque para os subsídios de parentalidade automáticos.

Outra das medidas são as faturas sem papel, guardadas diretamente no telemóvel e automaticamente registadas no Portal das Finanças. Uma alteração que pode salvar quase 70 mil árvores por ano, diz o Governo.

Pais e alunos também terão a vida facilitada, segundo o Governo. Isto porque vão aceder às informações das escolas mais próximas da área de residência, através de a plataforma qual@escola.

A medida do Simplex, já disponível, e que maior curiosidade tem suscitado no estrangeiro é a chave móvel digital. Com este sistema, que agora vai ganhar mais gás, é possível usar o cartão de cidadão através do telemóvel sem a necessidade de um leitor de cartões.

Através de um código PIN, é possível autenticar o acesso a todos os sites das entidades públicas e, assim, poder alterar a morada, os apelidos, pedir o registo criminal, renovar ou cancelar o cartão do cidadão.

O Simplex nasceu em 2006, durante o Governo de José Sócrates e em 11 anos de vida conta com 12.00 medidas criadas para simplificar a vida dos cidadãos e das empresas.

"Cartão de cidadão" para imigrantes

Este ano, Simplex vai também chegar aos imigrantes. O Executivo vai criar uma espécie de “cartão de cidadão” para estrangeiros que passem a viver em terras lusitanas. Do cartão, lançado no âmbito do Simplex+2018, vão constar os números de identificação fiscal, de segurança social e de Serviço Nacional de Saúde (SNS).