Já se estão a imprimir órgãos em 3D. Órgãos, pedaços de corpo, tecidos vivos! feitos numa impressora. O feito foi anunciado no fim de Março e comemorado com champanhe: uma empresa russa diz que conseguiu imprimir uma glândula tiroide de um rato. O rato sofria de hipertiroidismo. O transplante propriamente dito é suposto acontecer por estes dias. Se foi um sucesso ou não, só se vai saber lá mais para Julho.
 
Para fazer a tiroide, os russos Bioprinting Solutions da usaram células estaminais, criadas a partir da gordura do próprio rato (o que em princípio reduz o perigo de rejeição), e depois montadas num hidrogel, camada a camada, numa impressora 3D.Na verdade, é o corpo que constrói o órgão - a impressora só ajuda na fase inicial.
 
O cancro da tiroide é um dos mais comuns, e daí a escolha. A seguir à tiroide, os russos querem avançar para a impressão de outros órgãos - e nomeadamente de rins - algures durante os próximos três anos. A ser verdade, é um prémio Nobel garantido.