Os novos óculos da Google, o «Google Glass», que providenciam acesso à internet, prejudicam a visão periférica dos utilizadores, interferindo em algumas tarefas, como conduzir, atravessar a rua e praticar desporto. O alerta foi feito por estudo publicado esta terça-feira no Jornal da Associação Médica Americana.
 
Os três homens que participaram no estudo tinham visão 20/20, considerada normal, e as descobertas demonstraram uma obstrução «significativa» da visão periférica no lado direito, onde o dispositivo é instalado.
 
Como a análise da tecnologia foi feita apenas com três pessoas, os cientistas afirmaram que é necessário realizarem-se mais estudos, com um grupo maior de utilizadores, para verificar os resultados.
 
«No nosso entendimento, esta é a primeira avaliação do efeito de dispositivos eletrónicos utilizados no campo de visão», escreveram os investigadores da Universidade da Califórnia, em São Francisco. «O dispositivo criou uma obstrução clinicamente significativa no campo visual no quadrante superior direito», acrescentaram.
 
Os cientistas explicaram que o bloqueio ocorre devido à barra espessa no lado direito dos óculos, e não às distrações produzidas pelo software.
 
O «Google Glass» está à venda nos Estados Unidos desde maio por cerca de 1200€ (1500€ dólares). De momento assiste-se a uma grande aposta do mercado da eletrónica em dispositivos deste género, embora a maioria dos casos sejam de pulseiras e relógios.