A polémica instalada com o strip da esquiadora libanesaque disputa os Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi chegou às redes sociais. Jackie Chamoun pousou em topless para uma sessão fotográfica, mas o governo do Líbano não gostou e ordenou até uma investigação ao caso. Se muitos libaneses conservadores se sentiram indignados com a atitude da atleta, outros tantos, mais liberais, decidiram mostrar o apoio a Jackie de uma forma original.

As redes sociais foram «invadidas» esta quarta-feira com fotografias e fotomontagens para apoiar a esquiadora. Os libaneses estão literalmente a tirar a roupa para demonstrar que o Líbano é um país que está longe das restrições mais duras do mundo islâmico.



Nos comentários publicados na rede social podem ler-se comentários como: «Porque o Líbano não é Kandahar nem nunca será!». As imagens variam entre líbaneses semi-nus, com o torso a descoberto, e paródias a imitar a pose da jovem na neve. Em comum usam a hashtag #StripForJackie.

A jovem até já pediu desculpa, alegando que apenas concordou em fazer as fotos e não com a publicação do vídeo do«making off» da sessão. A filmagem foi publicada no YouTube e acabou por se tornar viral.