A NASA informou que o telescópio espacial Hubble detetou possíveis emissões de vapor de água na lua Europa, do planeta Júpiter, uma das quatro descobertas pelo astrónomo Galileu Galilei, há mais de 400 anos.

Localizámos possíveis emissões de vapor que emanam da Lua Europa de Júpiter, usando o Hubble”, afirmou, em comunicado, a estrutura aeroespacial norte-americana.

Segundo o comunicado, o telescópio fez imagens do que “podem ser emissões de vapor de água que emergem da superfície” da lua.

A descoberta aumenta a possibilidade de futuras missões à Europa analisarem o oceano gelado daquela lua, sem perfurarem o gelo, refere a NASA.

O oceano da Europa é considerado um dos lugares que poderá abrigar vida no sistema solar”, disse o diretor interino de Missões de Ciência da NASA, Geoff Yoder, em Washington.

Jatos de 200 quilómetros

De acordo com a NASA, as emissões atingem uma altura de cerca de 200 quilómetros de altura.

A superfície da Lua Europa tem um enorme oceano, que conterá duas vezes a água de todos os oceanos da Terra, mas o líquido está protegido por uma camada de gelo, cuja espessura é desconhecida.

Caso se confirme a descoberta hoje anunciada, a Europa será a segunda lua do sistema solar conhecida por ter emissões de vapor de água.

Em 2005, a nave internacional Cassini, da NASA, detetou jatos de vapor de água e poeira na superfície da lua Enceladus, do planeta Saturno.