A Microsoft está confiante na entrada da Xbox One em Portugal. A consola era aguarda no ano passado, aquando do lançamento da concorrente Playstation 4, mas só agora está disponível no mercado nacional.

A consola irá ter disponíveis jogos, acessórios e conteúdos exclusivos, mas tudo isto é questionável. Para que estes sejam desenvolvidos com sustentabilidade para a própria marca é preciso vender mais maquinas mas também para isso é preciso haver mais oferta de jogos.

Ao mesmo tempo, questionamo-nos para que podem servir mais jogos na Xbox One se depois quando formos partilhá-los com os nossos amigos, ninguém tem essa máquina. A realidade pode ser dura de admitir para a Microsoft, mas enquanto esta vende uma Xbox One, a Sony vende três Playstation 4.

Outra das novidades é o SmartGlass, uma aplicação disponível para IOS, Android e Windows que funciona como segundo ecrã. . Podemos ter o jogo na televisão e os mapas no telemóvel, por exemplo. Ou podemos deixar o filho a jogar na televisão e ficarmos a ver televisão no tablet.

Além desta, e para tirar todo o partido da Xbox One, é ainda preciso o Kinect, uma camara que reconhece quem está em frente à televisão e o que está a fazer. Se forem os filhos, por exemplo, a máquina limita os canais que podem ver e os jogos que podem jogar, dependendo da idade, e durante quanto tempo lá podem estar.

A Microsoft tem, por isso, um longo trabalho de marketing pela frente, tem de conquistar mercado e começar a estratégia praticamente do zero, uma vez que a Sony tem tido presença ininterrupta em Portugal.

A Xbox One custa 499 euros e na versão sem Kinect será menos cem euros.