A Amazon, uma das maiores empresas de comércio eletrónico, começou na sexta-feira em Miami os testes de entrega de encomendas através de aviões não tripulados (drones).

Os testes começaram depois de a autoridade federal de Aviação (FAA, na sigla em Inglês) ter autorizado a empresa a desenvolver a sua investigação e o desenvolvimento do sistema de entrega de encomendas mediantes drones.

Esta modalidade de entrega começou na quinta-feira numa dezena de áreas postais de Miami, no sul do Estado da Florida, depois de já se ter iniciado em Nova Iorque e Baltimore, cidades no nordeste dos EUA.

A FAA autorizou testes no «mundo real» destes dispositivos em espaço aberto, «a menos de 122 metros da altura e apenas durante o dia».

Mesmo assim, a pessoa que controla a pequena aeronave de maneira remota tem de possuir um certificado de piloto privado, não deve perder de vista o aparelho durante o voo e as condições meteorológicas devem permitir a sua observação.

O teste deste serviço de entrega, denominado Prime Now, tem como objetivo reduzir em 30 minutos o tempo de entrega de encomendas, incluindo em lugares de acesso difícil, informou a Amazon.

A empresa tem também de entregar mensalmente informação sobre a atividade dos drones, como o número de voos, as horas de voo, os problemas do sistema, possíveis desrespeitos das instruções dos controladores aéreos, bem como qualquer perda involuntária de comunicação.