Os amantes de astronomia poderão aproveitar as madrugadas deste fim de semana para observar a chuva de meteoros oriónidas, que em Portugal tem o pico máximo de atividade esta noite e vai deixar no céu um rasto de cerca de 20 estrelas cadentes por hora.

O fenómeno acontece todos os anos, quando o planeta Terra se cruza com a nuvem de poeira espacial deixada pelo cometa Halley, o único visível a olho nu da Terra. A última passagem do Halley pelo planeta aconteceu em 1986 e a próxima está prevista para 2061, indica a BBC.

Embora o Halley só passe pela Terra a cada 75 anos, ele deixa para trás detritos com os quais o planeta se cruza todos os anos. Esses detritos incendeiam-se ao atravessar a atmosfera terrestre e dão origem a dois efeitos luminosos, duas chuvas de meteoros (conhecidos popularmente como estrelas cadentes): a Oriónida, que acontece sempre em outubro e a Eta Aquáridas, que ocorre sempre em maio. Os nomes com que foram batizadas são referências às constelações de que parecem surgir: as Oriónidas parecem ter origem em Orión e as Eta Aquáridas parecem vir da constelação de Aquário. 

Apesar de não ser a mais intensa, a chuva de Orionídas é uma das chuvas de meteoros mais importantes do calendário anual por ser vista de praticamente todo o globo, com exceção da Antártida.

Este ano a observação será facilitada por coincidir com o período de transição da Lua Nova para Crescente, que ocorreu na quinta-feira. Por isso, esta noite apenas 1% da superfície da Lua vai ser visível no céu, o que ajudará à observação noturna das estrelas cadentes.

O único inconveniente poderá mesmo ser o estado do tempo, já que esta sexta-feira à noite espera-se chuva ou céu nublado em todo o território nacional. Mas se não conseguir ver os meteoros em toda a plenitude, não desanime: as oriónidas vão permanecer por cá até 7 de novembro.

Seja como for, para a melhor observação, os astrónomos recomendam que as pessoas escolham um sítio longe das luzes da cidade para evitar a poluição luminosa causada pelos candeeiros e prédios das regiões urbanas. O melhor momento para observação está previsto entre a meia-noite e a uma da madrugada porque é nas primeiras horas da manhã que a translação da Terra a coloca na região onde estão os detritos.

Em Portugal, é importante que encontre um lugar com visão na direção leste-sudeste, que é a região do céu onde a chuva de meteoros vai ocorrer. Se estiver no hemisfério sul, terá de olhar na direção leste-nordeste.