Os mais antigos objetos de ferro já descobertos, contas de colares descobertos num cemitério egípcio com 5.000 anos, foram forjados a partir de meteoritos, indica um estudo publicado na revista Journal of Archaeological Science.

Uma análise profunda das contas, descobertas em 1911 por arqueólogos britânicos no Baixo Egito, na localidade de El-Gerzeh, mostrou que são compostas de ferro meteorítico e não de um mineral terrestre, disseram os investigadores.

As nove pequenas contas foram descobertas em sepulturas de há 3.200 anos antes da nossa era e faziam parte de colares com outros metais preciosos, como o ouro, ou pedras, como o lápis-lazúli ou a ágata, encontrando-se atualmente no Museu Petrie do University College de Londres (UCL), segundo a agência France Presse.

Os cientistas analisaram as contas através do bombardeamento de neutrões, para lerem a ¿assinatura¿ atómica de cada um dos elementos que compõem a liga de metal, tendo descoberto um elevado teor de níquel, fósforo, cobalto e germânio, que apenas existe em quantidades ínfimas no ferro terrestre.

Concluíram assim que o metal que serviu para fazer as contas nasceu no espaço, antes de chegar à terra através de um meteorito.