Os procuradores de Hamburgo, na Alemanha, abriram uma investigação na sede europeia do Facebook sob a alegação de que a rede social falhou em remover publicações com teor racista.

A política de publicações do Facebook continua a ser alvo de muita discórdia, nomeadamente no que diz respeito ao racismo, e o tema levou assim investigadores da Alemanha a investigar o responsável europeu da rede social, Martin Ott.

De acordo com a Reuters, Martin Ott está a ser investigado por continuar a permitir comentários e publicações de teor racista na rede social. Isto enquanto a Alemanha se prepara para receber milhares de refugiados provenientes da Síria.

Em resposta a esta notícia, o Facebook referiu que “não comenta o estado de uma possível investigação”, mas afirma que “falta mérito às acusações e não houve nenhuma violação da lei alemã pelo Facebook e pelos seus colaboradores.”

A chanceler alemã, Angela Merkel, já pediu ao Facebook que faça mais este ano para não permitir publicações racistas.

O Ministério alemão da Justiça pretende entretanto criar um grupo de trabalho com o Facebook, outras redes sociais e prestadores de serviços de Internet com o objetivo de identificar as mensagens de ódio de forma mais rápida e removê-las.