A NASA, em colaboração com a Agência Espacial do Canadá, está a planear enviar um robot para a Lua, em 2018, para procurar provas da existência de água ou outras substâncias voláteis. A informação é avançada pelo jornal espanhol «El Mundo» que entrevistou o astrónomo Rafael Bachiller.

Mas a NASA também quer novas explorações em Marte e, em 2020, deverá também ser enviado um robot para pesquisar indícios de oxigénio na atmosfera.

Se forem encontrados vestígios de água ou oxigénio, será possível explorar recursos fora do sistema solar e poupar dinheiro nas viagens espaciais. Conseguir estes recursos poderia ajudar na sobrevivência dos astronautas e permitir a criação de combustível para as viagens de regresso à Terra.

Até agora, apenas 12 homens tiveram o privilégio de pisar a superfície lunar. Todos eles entre 1969 e 1972, escreve o «El Mundo». Atualmente, as idas ao espaço parecem se resumir à Estação Espacial Internacional.

Luisa Lara do Instituto Astrofísico da Andaluzia afirmou ao jornal que «colocar um quilo no espaço custa mais de um milhão de euros». Poder reduzir a carga, nas viagens, como por exemplo, água ou combustível, é, por isso, indispensável.