Os cientistas podem ter descoberto o organismo unicelular que deu origem a tudo o que está vivo na Terra. Chama-se LUCA, que significa Last Universal Common Ancestor (Último Ancestral Comum Universal, em português) e surgiu há cerca de quatro mil milhões de anos, quando o planeta tinha apenas 560 milhões de anos.

A forma mais primitiva de vida do planeta seria um organismo de uma única célula que não precisava de oxigénio e se alimentava de nitrogénio. A descoberta pode ajudar a desvendar o mais famoso e controverso mistério entre cientistas: a origem da vida, indica o jornal britânico Independent.

O retrato genético do nosso mais velho ancestral foi publicado, segunda-feira, na revista Nature Microbiology. Os cientistas acreditam que o LUCA é um antepassado comum das bactérias e archaeas. O estudo indica que o LUCA estava adaptado para sobreviver ao calor, a ambientes sem oxigénio e ricos em minerais, talvez semelhantes aos vulcões submarinos que temos hoje na Terra.

Para chegar a essas conclusões, os cientistas da Universidade Heinrich Heine de Düsseldorf, na Alemanha, analisaram a evolução de 6,1 milhões de genes unicelulares que codificam proteínas em busca daqueles que poderiam ter sido originados do LUCA. O estudo chegou a 355 genes que "estavam provavelmente presentes no genoma de LUCA".

Ao The New York Times, William Martin, autor do estudo, explica que o LUCA está muito próximo da origem da vida, pois, este organismo não tem muitos dos genes necessários para viver. O especialista refere que estes organismos estavam apenas "meio-vivos".

De acordo com o estudo publicado na segunda-feira, o LUCA surgiu nas fissuras do mar profundo, em zonas onde é expelido o ar gasoso, quente e cheio de metais, na mistura do magma com a água do mar.

A descoberta vem acrescentar mais um ponto ao longo debate entre os cientistas que acreditam que a vida surgiu em ambientes extremos e os que defendem que a vida começou em águas paradas, como lagoas quentes.

Alguns cientistas não concordam com a teoria de Wlliam Martin e afirmam que, apesar de o LUCA ser um organismo sofisticado e realmente o mais antigo encontrado até ao momento, ele surgiu muito tempo depois do início da vida.