As características de Encélado, a lua de Saturno, parecem tão promissoras à sustentabilidade de vida que a NASA encetou uma missão, no valor de 3.26 mil milhões de dólares, para descobrir mais sobre este satélite natural. Uma sonda vai mesmo sobrevoar a superfície da lua e penetrar no vapor gelado que emana do oceano subterrâneo.

A sonda Cassini vai mergulhar mais fundo do que qualquer outra, no passado. Depois de vários anos de observação, e das últimas imagens divulgadas pela agência espacial, a NASA tem finalmente a certeza que Encélado tem um oceano subterrâneo.

Para além disto, as características geológicas do satélite fazem crer que este consiga sustentar vida. Uma possibilidade que se tornou clara nas primeiras imagens recolhidas, em 2005, que fizeram com que a lua de Saturno fosse rotulada como um dos lugares conhecidos com maior potencial para ser habitável, na Via Láctea.

Contudo, a NASA garante que a sonda não vai conseguir detetar se existe vida extraterrestre na lua de Saturno. De acordo com a AFP, os cientistas pensam que, ao sobrevoar a camada gasosa da superfície de Encélado, será possível perceber melhor o seu oceano.
 

“Este desafiador sobrevoo vai fazer com que a nave fique a 48 quilómetros da superfície da região polar de Encélado”, declarou a NASA.

"Isto vai permitir que Cassini obtenha as medidas e as características mais exatas, até agora, da composição da névoa. Vai permitir novas introspeções sobre o mundo oceânico por baixo do gelo”.



O voo tem esta quarta-feira, mas os especialistas alertaram que os dados recolhidos podem demorar meses a serem publicados.