A polícia japonesa está a investigar o acesso irregular a centenas de contas pessoais da aplicação de mensagens «Line», uma das mais populares, enquanto a companhia recomendou hoje aos seus utilizadores a alteração das senhas de acesso para prevenir outros casos de pirataria.

A «Line» confirmou mais de 300 casos de pirataria de contas pessoas da aplicação desde o final de maio, entre as quais em, pelo menos, três casos geraram prejuízos financeiros para os utilizadores, revelou o diário Asahi.

O departamento da polícia metropolitana de Tóquio está a investigar os casos a partir da informação disponibilizada pela empresa para identificar a origem dos acessos irregulares e se foi praticado algum delito.