O Instagram eliminou milhões de contas, mas a ação não foi bem recebida por muitos. 

Tal como acontece com o Facebook, o Instagram remove com alguma regularidade contas consideradas fraudulentas, para prevenir que os utilizadores comprem seguidores para parecerem mais populares. Esta ação está a ser criticada por vários utilizadores que sentiram o impacto ao perder um número significativo de seguidores, apelidando a limpeza de «rapture», em português «usurpação», como noticia a BBC.
O cantor de rap Akon, por exemplo, viu os seus seguidores reduzidos a menos de metade, tendo perdido 56%, nesta última «limpeza». Zack Allia, empresário norte-americano que desenvolve diversas aplicações cibernéticas, sistematizou o impacto desta eliminação de spam nas 100 contas mais populares da rede social.
 
Os mais afetados foram Justin Bieber, com menos 3.538.228 seguidores, e o especialista em marketing online, Wellington Campos, que perdeu 3.284.304 seguidores.

Uma das contas, «chiragchirag78», perdeu 99% dos seguidores, 3.660.460, antes de ela própria ser eliminada. Também a conta do Instagram sentiu um forte impacto, acordando com menos 18.880.211 seguidores.

Há cerca de uma semana, o Instagram enviou uma mensagem a todos os usuários a informar da futura exclusão de perfis falsos, mas os utilizadores nunca pensaram na dimensão que poderia ter.

Em reação às fortes perdas alguns utilizadores apagaram mesmo as contas, como o rapper Ma$e, acusado de comprar seguidores. Outros manifestaram a sua estupefação, como é o caso da estrela da série «Orange is the New Black», Matt McGorry, ou da videoblogger Jamie Curry.