O quadro mais valioso do mundo, Mona Lisa, pode estar em vias de perder o seu famoso nome. Um cientista francês passou dez anos a estudar a pintura diz ter encontrado um quadro diferente por trás da imagem da enigmática mulher, que pode mudar a forma como a olhámos nos últimos séculos.

Mona Lisa já foi alvo de várias controvérsias ao longo do tempo: desde ser um autorretrato do próprio Leonardo Da Vinci até conter pistas secretas. Os cientistas e historiadores passaram todos estes anos a tentar descobrir quem é a mulher do quadro e porque foi pintada.

Questões que podem estar cada vez mais perto de serem respondidas, depois das descobertas de Pascal Cotte. O cientista que passou uma década a analisar o quadro com tecnologia de luz reflexiva afirma que existe outro retrato por trás do da mulher, que não tem o olhar no mesmo ângulo, nem tão pouco exibe o seu sorriso subtil.

Uma das teorias mais apontadas é a da mulher representada ser Lisa Gherardini, esposa de um comerciante de Florença. Mas o investigador acredita que a imagem oculta não é a mesma pessoa que está representada no quadro apesar de, sem dúvida, se tratar de uma mulher.
 

“Os resultados abalam muitos mitos e mudam a nossa visão do principal trabalho de Da Vinci para sempre. Quando eu terminei a reconstrução de Lisa Gherardini, estava diante de um retrato totalmente diferente da Mona Lisa de hoje. Esta não é a mesma mulher”, revelou, à BBC.


Segundo o The Telegraph, o Museu do Louvre não quis comentar as afirmações do cientista.

Contudo, o historiador Andrew Graham-Dixon diz que a teoria deve ser levada em consideração e que pode mesmo ser “uma das histórias do século”. A comprovar-se, pode significar que o quadro poderá ter de mudar de nome.
 

“Provavelmente vai haver alguma relutância por parte das autoridades do Louvre em mudar o título da pintura, porque é disso que estamos a falar – é adeus Mona Lisa, porque é outra pessoa”.