Um autocarro sem motorista esteve envolvido num acidente logo no primeiro dia em que começou a circular nas ruas de Las Vegas. O veículo que transportava um número indeterminado de passageiros foi atingido, na quarta-feira, por um camião que seguia a baixa velocidade numa rua da cidade norte-americana.

De acordo com a BBC News, ninguém ficou ferido no acidente e a culpa da colisão foi atribuída ao motorista do camião, que acabou multado pela polícia.

Um porta-voz da cidade de Las Vegas afirmou à estação de televisão britânica que a batida foi leve e que o autocarro vai voltar a circular esta quinta-feira, depois de passar por uma inspeção de rotina.

Um camião de entregas estava a sair de um beco", informou Jace Radke, do serviço de informações da cidade. "O autocarro fez o que devia fazer e parou. Infelizmente o elemento humano, o motorista do camião, não parou".

O autocarro robótico de Las Vegas é o primeiro do género a transitar por vias públicas dos Estados Unidos da América. O veículo foi desenvolvido pela Navya, 'startup' francesa que também está a testar a tecnologia em Londres. Pode transportar até 15 pessoas e tem velocidade máxima de 45 km/h, mas normalmente circula a 25 km/h.

O autocarro faz um circuito de aproximadamente um quilómetro no centro de Las Vegas, oferecendo viagens gratuitas a moradores e turistas.

Se o camião tivesse os mesmos sensores que o autocarro, o acidente teria sido evitado”, disse ainda Jace Radke, acrescentando que “os testes com o autocarro irão continuar durante 12 meses”.

A colisão ocorreu um dia depois de a Waymo, empresa da Alphabet (dona da Google) anunciar o lançamento de uma frota de táxis sem motoristas em Phoenix, no Arizona.

Não é a primeira vez que um veículo totalmente autónomo se envolve num acidente, mas a maioria dos incidentes reportados são atribuídos ao "elemento humano".

No Arizona, um veículo do mesmo género, que estava a ser testado pelo Uber, acabou por bater num outro carro, depois do motorista deste último não ter cedido a passagem. Em 2016, um homem morreu num acidente que envolveu um Tesla Model S com funções autónomas. A investigação do caso indicou que falhas do computador podem ter provocado o acidente.

Apesar desses incidentes, especialistas defendem que o uso da tecnologia tem mostrado que é capaz de tornar as ruas mais seguras.

Um estudo da Rand Corporation, organização de pesquisa sem fins lucrativos, publicado esta semana, defende que a tecnologia chegue logo ao mercado, apesar das imperfeições.

Ficar à espera de veículos extremamente autónomos que sejam muito mais seguros do que motoristas humanos faz-nos perder oportunidades de salvar vidas", refere o relatório. "É a própria definição de que o ótimo é inimigo do bom."